Os Melhores Combates de 2016: Janeiro





Sejam bem-vindos ao novo espaço mensal do Ringside Wrestling. onde vamos passar em revista o que de melhor se fez no mundo do Wrestling em cada mês que passou, através de um novo projeto que estamos a desenvolver no Fórum de Pro Wrestling.

Ao longo de cada mês temos aberto um post onde qualquer membro pode nomear combates desse mês (ou de meses anteriores mas cujos vídeos apenas tenham saído mais tarde) que considere acima da média, classificando-o numa escala de 0 a 10, justificando a sua nomeação. Depois os outros membros que assistiram aos combates nomeados deixam também as suas avaliações. No final do mês, é feita uma média de todas as pontuações obtidas, e chegamos assim a um Top 10 daqueles que foram considerados como os melhores combates do mês! Pode parecer confuso, mas não é.


As avaliações estão abertas todo o mês, por isso podem já passar pelo nosso Fórum e deixar as vossas nomeações e avaliações para o mês de Fevereiro, de forma a ajudar-nos a tornar esta lista ainda mais completa!


Sem mais demoras, vamos ao que interessa: os 10 melhores combates do mês de Janeiro, conforme os votos dos nossos membros. Junto ao vídeo de cada combate podem ler uma pequena review daquilo que faz que essa contenda seja merecedora de estar neste Top, escritas pelo Marco Paz, André Ribeiro e Michael Uchebo, todos membros do nosso Fórum, a quem mais uma vez agradeço.


Neste Top 10 incluem-se combates de seis companhias diferentes, de três continentes, e apenas um lutador aparece em mais do que um combate!


10º lugar
8.30 pontos
NJPW Wrestle Kingdom 10
04 de Janeiro de 2016
IWGP Junior Heavyweight Championship
Kenny Omega (c) vs. KUSHIDA


A história para isto é bastante simples: Estes dois andaram a trocar o título durante este último ano. O KUSHIDA ganhou o titulo pela primeira vez no DOMINION, tendo o seu grande momento mas o seu reinado foi curto pois Omega reconquistou o título e acabou com o sonho do “Time Splitter”. O Kenny tem evoluído bastante como heel, os seus maneirismos e expressões são cada vez melhores e ele mostra isso neste combate, com as suas interacções e o seu selling. Já o KUSHIDA, sendo o típico Highflyer algo genérico sem grande coisa que o diferencie do resto, acho que acaba mesmo por ser a sua grande qualidade e o lutador maturo que se tem tornado nos últimos tempos. O combate foi algo rápido demais e acho que beneficiaria de um pouco mais de tempo, mas toda a psicologia, selling e a boa acção que aconteceu tornou este bastante agradável de se ver. As interferências não foram em demasia o que também não fartou e o final foi o melhor, protegendo o perdedor.


Marco Paz

9º lugar
8.33 pontos
Beyond Wrestling - Fete Finale
27 de Dezembro de 2015
Donovan Dijak vs. Tommaso Ciampa

Se não sabem quem é o Dijak, ou simplesmente nunca lhe prestaram muita atenção na ROH, aqui está uma boa oportunidade para perceberem porque é que se trata de alguém a ter em conta. Dijak tem tudo à primeira vez, tamanho, promo, expressões faciais, é um heel natural mas também sabe como ser um babyface, e durante 2015 teve combates fantásticos um atrás do outro na Beyond Wrestling: Eddie Edwards, Biff Busick, CJP, Andrew Everett, JT Dunn e Chris Hero foram as suas vítimas. Começando como heel, ganhou o respeito dos fãs e turnou naturalmente. tinha agora a chance de fechar com chave de ouro o seu ano invencível contra um dos seus adversários de sonho: Tommaso Ciampa.

O Ciampa tem ganho alguma notoriedade com a sua participação na NXT e melhorou bastante em 2015 com essa experiência e com as suas tours na Europa pelo que este era um combate grande para a Beyond. Dois dos melhores das indies numa das federações mais hot do ano.

Michael Uchebo



8º lugar
8.53 pontos
Pro Wrestling NOAH - Destiny 2015
23 de Dezembro de 2015

GHC Tag Team Championship
Davey Boy Smith Jr. & Lance Archer (c) vs. Chris Hero & Colt Cabana

Não sei porquê mas não sou o maior fã dos Killer Elite Squad, apesar de achar que são super competentes e dão bons combates. E este é seguramente um dos meus combates favoritos dos K.E.S. e é tag team wrestling ao mais alto nível! Há já muito que não via o Cabana a ter uma perfomance tão boa, mas Hero é claramente o melhor performer do combate, ao mostrar todo o seu fighting spirit. Juntos são super aceites pelo público da NOAH e vão ficando cada vez mais over conforme o tempo passa.

Combate que começa logo a abrir em grande e em nenhuma parte tem momentos mortos e o combate vai se tornando cada vez mais entusiasmante.

André Ribeiro



7º lugar
8.65 pontos
EVOLVE 53
22 de Janeiro de 2016
Chris Hero & Tommy End vs. Zack Sabre Jr. & Sami Callihan

Um combate que merece ser visto. Muito diferente de outros estilos e de outros combates de equipas. Primeiro, porque cada um destes lutadores é exímio tanto num estilo mais técnico como num estilo mais de striking, cada um com a sua especificidade (O Hero com os elbows, End com os pontapés, ZSJ no estilo técnico inglês e Callihan como um all rounder strong style japonês). Depois, porque nenhuma destas equipas é realmente uma equipa, mas sim o conjunto de duas individualidades, o que causa alguma intriga (não se sabe que double teams esperar) e faz com que se crie antecipação sobre quem vai estar no ringue com quem, etc.

Podia ser simplesmente um combate de exibição para hypar futuros combates de singles, mas como se trata de um torneio tag team, as duas equipas quiseram fazer mais do que isso e proporcionar um combate completo. Se a primeira metade do combate é bastante única, a segunda é frenética e emocionante. Um ótimo combo para um ótimo tag match.

Michael Uchebo



6º lugar
8.80 pontos
WWE Royal Rumble
24 de Janeiro de 2016

Last Man Standing Match - Intercontinental Championship
Dean Ambrose (c) vs. Kevin Owens

Eis um combate que foi enorme, mas poderia ter sido muito melhor. Estes dois deitaram a casa a baixo naquele que foi, sem grandes duvidas, o melhor combate do Royal Rumble deste ano. Todos os spots e todas as manobras fizeram parte de uma grande história que estes dois estavam a construir e a contar, e que história. O Owens era o campeão IC antes de o Ambrose tirar-lhe o título, este mesmo afirmava que aquele título era o seu ganha pão, aquilo que sustentava a ele e à sua família, por isso, Dean ao tirar-lhe o título, estava a tirar à sua família uma vida melhor. Vimos um Kevin completamente puseso e muito perverso, a mandar o corpo de Ambrose contra os Steel Steps repetidamente e a castigar o Lunatic Fringe, nem que isso metese o corpo dele em risco também (aquela brutal cannonball contra a barreira). O Dean foi o mesmo insano de sempre, submetendo-se a spots de grande dor. O seu selling é uma das melhores coisas deste, uma vez que a nível in-ring este não é nenhum fora de serie, aproveita as suas excelentes expressões faciais e as suas interacções para a psicologia.

Se tenho muito de bom a dizer deste combate, também tenho a dizer que acho que estes dois poderiam ter feito mais. Acho que limitaram-se a nível das armas que utilizaram e poderiam ter explorado muito mais a arena. O Spot final foi lindo e foi a conclusão de um grande combate.

Marco Paz




5º lugar
8.90 pontos
NJPW Wrestle Kingdom 10
04 de Janeiro de 2016
NEVER Openweight Championship
Katsuyori Shibata vs. Tomohiro Ishii (c)

Estes dois não tiveram um combate de wrestling, mas sim, uma autêntica guerra. A história disto foi bastante simples: dois amantes de strong style que vieram para o ringue fazer aquilo que mais gostam, ou seja, dar e receber dor. Não foram precisas moves excêntricas, não foi preciso mat wrestling sofisticado, nada, apenas chapadas, pontapés, murros, slams e pouco mais. Do mais básico que pode haver mas estes dois conseguiram tornar aquilo que algumas pessoas podem achar de horrível e assustador numa bela arte da porrada. E a história que levou a este combate também é extremamente simples, tudo baseado naquilo que, na sua essência, o wrestling é: competição. O Shibata fez o pin no Ishii umas quantas vezes nos últimos tempos em combates de tag team e multi-man tags, o que levou a que este recebesse uma shot ao titulo do próprio. Simples, lógico e eficaz. E foi isso que este combate foi também. Isto combate quase que foi um fechar do capitulo para o Ishii e a sua run com o titulo NEVER e um novo capitulo para o Shibata (e o próprio titulo que tem sido dominado pelo “Stone Pitbull” nos últimos dois anos).

Marco Paz

4º lugar
8.95 pontos


NJPW/CMLL Fantasticamania
24 de Janeiro de 2016

CMLL World Lightweight Championship
Dragon Lee (c) vs. Kamaitachi

Tenho algum receio que de alguma maneira isto acabe por ficar esquecido, mas isto é realmente extraordinário e será sem dúvida um dos melhores combates do ano. Começam o combate a um ritmo incrível, com spots espectaculares capazes de deixar qualquer público maravilhado. Perto do final, começam a abrandar um pouco as coisas e a dar maior importância ao selling e as submissisons. Um combate que conseguiu agarrar o público desde o primeiro minuto onde os dois lutadores mostraram uma química tremenda. Muito provavelmente o Melhor Combate desta Fantasticamania!

André Ribeiro



3º lugar
9.14 pontos
Revolution Pro Wrestling - High Stakes
16 de Janeiro de 2016
Will Ospreay vs. Marty Scrull

No último ano, se existem duas pessoas que lutaram uma contra a outra uma série de vezes, numa das rivalidades do ano, expandindo-se para múltiplas empresas e dando sempre os melhores combates da noite, estes dois senhores foram essas pessoas. Duas das principais caras do (emergente) Wrestling Britanico, o jovem Highflyer sensação (de apenas 22 anos), muitas vezes dito como o sucessor de AJ Styles na cena independente, Will Ospreay, e o “veterano”, o “Vilão” de Inglaterra, o mestre do “Chickenwing”, Marty Scurll, enfrentaram-se para roubar completamente o show, num card que contava, mais a frente, com um dos combates mais esperados dos últimos anos das indys (AJ Styles vs Zack Sabre Jr.). Este combate tem de tudo, wrestling técnico, striking, highflying, psicologia, tudo. Senão tivéssemos tido o Wrestle Kingdom 10 também este mês, este combate tinha levado o prémio facilmente.

Marco Paz



2º lugar
9.47 pontos
NJPW Wrestle Kingdom 10
04 de Janeiro de 2016

IWGP Intercontinental Championship
Shinsuke Nakamura (c) vs. AJ Styles

Este foi o último combate significativo dos dois na NJPW, embora na altura não fosse público que ambos estavam de saída para a WWE. O público não sabia, mas sabiam eles, e - como se não bastasse o facto de ser o segundo Main Event no principal evento do ano - foi mais um motivo para darem um último combate combate épico.

A primeira coisa a dizer sobre o combate é que às vezes o melhor build é não haver build. A NJPW simplesmente manteve os dois afastados durante toda a run do AJ Styles, fazendo com que fossem os únicos wrestlers dentro dos big four (Tanahashi, Okada, Styles e Nakamura) que nunca se envolveram numa rivalidade ou em combates um com o outro. Assim, o combate ganha imediatamente contornos de "dream match". Depois, no ringue, ambos fizeram a sua parte e comportaram-se como estrelas, maiores do que a vida, contaram a história com pausas, respirações entre golpes, e conseguiram enormes reacções com sequências simples, criando antecipação para os golpes mais significativos mais tarde.

Aqui não era tanto o AJ Styles lider dos Bullet Club, um vilão estrangeiro que veio degenerar o estilo New Japan, mas sim o AJ Styles wrestler que ganhou o respeito dos fãs japoneses. O post match acaba por simbolizar de forma mais declarada que nunca este face turn e é um momento que o Styles certamente nunca esquecerá.

Michael Uchebo



1º lugar
9.87 pontos
NJPW Wrestle Kingdom 10
04 de Janeiro de 2016

IWGP Heavyweight Championship
Kazuchika Okada (c) vs. Hiroshi Tanahashi

O build-up disto roça a perfeição e ao mesmo tempo é estupidamente simples. Após uma série de clássicos e épicos, no último Wrestle Kingdom Kazuchika Okada sai mais uma vez do maior show da NJPW sem conseguir derrotar o seu nemesis, mas desta vez não sai só destruído fisicamente como emocionalmente. Kazuchika Okada entra numa espiral negativa, enquanto que Tanahashi perde o titulo para AJ Styles. Mais tarde o Rainmaker derrota o Phenomenal One e recupera o seu lugar no topo, mas o seu lugar como "ás" da companhia só será alcançado quando derrotar no WrestleKingdom o vencedor do G1 Climax, o seu maior rival Hiroshi Tanahashi!

Era difícil arranjar um melhor desfecho para esta feud lendária. Selling, Emoção, Psicologia, Boa Acção. Tiveram em conta tudo aquilo que os levou até ali e é um combate em que se sente que Okada quer mesmo provar que consegue derrotar clean o seu rival no maior palco de sempre. Dos melhores combates de Sempre!

André Ribeiro




Concordam na generalidade com este Top? Foi Okada vs. Tanahashi também o vosso combate favorito do mês?


Por este mês é tudo. Não se esqueçam de dar a vossa contribuição para este espaço através das vossas avaliações aos melhores combates de Fevereiro (e já temos grandes candidatos!). Para tal basta passaram neste link. No próximo mês estarei de volta com os resultados dos vossos votos!

Compartilhe

Veja Também

Próximo
« Prev Post
Anterior
Next Post »